Voltar Componentes do Sistema de Esgoto

Palavras-chave:

02/11/2010 11:01



Aparelhos sanitários: são ligados à instalação predial, permitindo o uso da água para higiene.

Desconectores ou sifões: peças que contêm uma camada líquida chamada de “fecho hídrico”, fundamentais para impedir a passagem dos gases contidos nos esgotos. A norma brasileira NBR 8160 recomenda um mínimo de 5 cm para altura dos fechos hídricos dos desconectores.

 



Ralos: são caixas que possuem grelha na parte superior, que recebem as águas de chuveiros ou de lavagem de pisos. Quando contém sifão, chamamos de ralos sifonados.

Caixas sifonadas: peças que recebem as águas servidas de lavatórios, banheiras, box, tanques e pias, ao mesmo tempo em que impedem o retorno dos gases contidos nos esgotos para os ambientes internos. Também podem recolher as águas de lavagem de piso, através da grelha superior, e protegem a instalação contra a entrada de insetos, graças ao fecho hídrico.

Ramal de descarga: tubulação que recebe diretamente os efluentes dos aparelhos sanitários.

Ramal de esgoto: recebe os efluentes dos ramais de descarga, diretamente ou a partir de um desconector (caixa sifonada).

Tubo de queda: tubulação vertical existente nos prédios de dois ou mais andares que recebe os efluentes dos ramais de esgoto e dos ramais de descarga.

Instalação primária de esgoto: conjunto de tubulações que contêm os gases provenientes do coletor público ou da fossa séptica.

Instalação secundária de esgoto: é o conjunto de tubulações e dispositivos onde os gases do esgoto não têm acesso. Neste caso a passagem dos gases é impedida pelos fechos hídricos dos sifões ou desconectores.


Sub-coletor: É a tubulação horizontal responsável que recebe os efluentes de um ou mais tubos de queda (no caso de prédios)  ou de ramais de esgoto.

Dispositivos de inspeção:

a) Caixa de gordura: caixa que recebe o esgoto vindo diretamente do ramal da cozinha. Possui um sifão que retém a gordura dentro da caixa, impedindo que esta seja conduzida pela tubulação. Desta forma, pode-se efetuar limpeza periódica para eliminar a gordura e demais materiais que ficam ali retidos.

b) Caixa de inspeção: são destinadas a permitir a inspeção, limpeza, desobstrução, junção, mudanças de declividade e mudanças de direção das tubulações. Devem ser  instaladas, no máximo, a cada 25 metros, para facilitar o manuseio dos equipamentos utilizados para limpeza. As caixas de inspeção recebem o esgoto primário e por esse motivo devem ter tampas herméticas (que não deixam escapar mau cheiro para o ambiente).

A TIGRE possui a solução ideal para inspeção de redes de esgoto,  que falaremos mais adiante.

Coletor predial: trecho final da tubulação que conduz o esgoto até a rede pública de coleta, ou ao sistema de esgoto individual.

Válvula de retenção: conexão instalada nos ramais prediais, após as caixas de inspeção, que impede o retorno de esgoto em situações como: inundações, enchentes, refluxo de marés, entupimentos, vazões elevadas em períodos de chuva. Pode também ser utilizada em ramais prediais de águas pluviais.

Compartilhe este artigo: Twitter Orkut Facebook Email



Cadastre-se

Cadastre-se no Mundo Tigre e tenha acesso a recursos adicionais.

Já tenho um cadastro Ainda não tenho um cadastro

O conteúdo deste site está disponível para todos os usuários, cadastrados ou não.

Dica do Hufen

Caixas de Areia

As Caixas de Inspeção de Esgoto TIGRE também podem ser utilizadas no sistema de drenagem. Porém, não esqueça que nunca se pode conectar o sistema deesgoto com...

Continue lendo
Colabora com a Enciclopédia