Linha do Tempo

2016

Gigante

Hoje, com 75 anos, a Tigre está presente em 10 países com 22 unidades fabris.

2015

Mudança de Gestão

Felipe Hansen, filho de Cau e Rosane Hansen, assumiu a presidência do Conselho de Administração e dará continuidade ao legado deixado por seu avô, seu pai e sua mãe, agregando dinamismo e velocidade a esse novo momento.

2015

Consolidação no Peru

Inauguração da nova fábrica da Tigre Peru, unindo Plástica e Matusita.

2014

Tigre-ADS USA

Ampliação da parceria com a americana ADS para a América do Norte. A unidade americana passou a se chamar Tigre-ADS USA, provendo conexões de PVC para o mercado de infraestrutura, o predial e o de HVAC [ar condicionado e aquecimento].

2013

Novo momento

Otto von Sothen assumiu a presidência, o primeiro executivo buscado fora, no mercado, para fazer a diferença neste nova fase da empresa.

novo momento

2010

Tigre Equador

Aquisição da Islariego (que produzia tubos para irrigação) no Equador

2009

Novo presidente

Evaldo Dreher, após ocupar os cargos de CFO e vice-presidente, sucede Amaury Olsen e assumiu a presidência da Tigre.

2009

Tigre Uruguai

Primeira unidade no Uruguai.

Tigre-ADS

A união da Tigre com a multinacional americana Advanced Drainage Systems Inc. resultou no nascimento da Tigre-ADS, fabricante de tubos corrugados em Polietileno de Alta Densidade (PEAD) que atende os segmentos de drenagem pluvial, drenagem esportiva, saneamento, infraestrutura, mineração e irrigação, com soluções para detenção e retenção.

2008

Consolidação na América do Sul

Compra da Plástica no Peru e nova unidade na Colômbia.

2007

Trata Brasil

Nasceu o Instituto Trata Brasil, uma Oscip – Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – formada por empresas com interesse nos avanços do saneamento básico e na proteção dos recursos hídricos do país. A Tigre é uma das fundadoras do Instituto.

Expansão internacional

Também foram inseridas as primeiras fábricas no Equador e Estados Unidos.

2006

Nos Estados Unidos, a entrada no mercado foi gradual. Começou com operações comerciais e um Centro de Distribuição. No ano seguinte, deu-se a inauguração da Tigre USA e o início da produção. A planta em Janesville, Wisconsin, tem área construída de 6.200 metros quadrados e recebeu todo o equipamento que a Tigre comprou de outra empresa, a Vassallo, uma das pioneiras na produção de tubos de PVC nos EUA.

Atualmente, a Tigre tem mais outras seis sedes, espalhadas por todo o país. A partir de 2014, a empresa Tigre-ADS EUA foi criada somando a essa estrutura 50 fábricas e 28 sedes da ADS, para abastecer os setores predial, de infraestrutura e HVAC, nos EUA e no Canadá. Parte da produção é exportada para o México, Porto Rico, Panamá, Colômbia, Venezuela, Equador e Bolívia.

2005

Controle da expansão

Foi criada a Gerência de Expansão Internacional para administrar o avanço internacional da Tigre.

Controle da expansão

2001

Tigre Chile

Aquisição da Saladillo, a Reiflox e a Plástica 21, consolidadas como Tigre Chile S/A e correspondendo a 41% do mercado local.

2000

Tigre Bolívia

Compra da Plasmar na Bolívia.

1999

Expansão pela América

A Tigre entrou no segmento de portas, janelas e forros de PVC, consolidando-se como uma das maiores empresas do Brasil especialista no material. A Claris é a única do ramo que realiza desde a fabricação dos perfis até a montagem das esquadrias no Brasil, dominando sua cadeia produtiva

Expansão pela América

1998

Caixa d’água

Neste ano Tigre lançou seu primeiro modelo de caixa d’água, em formato de 8.

1997

Pincéis Tigre

A marca Pincéis Tigre entrou oficialmente para a família. Em 2007, a produção foi transferida para a cidade de Castro, onde existe curtume para pele de carneiro (parte de alguns rolos de pintar parede). A simbologia da cor dos cabos dos pincéis, criada por Nicolau Jacob Filho (dono da primeira Pincéis Tigre), continua sendo referência no mercado nacional para profissionais e consumidores.

Pincéis Tigre

1995

Mais mudanças

A viúva de Cau, Rosane Hansen, assumiu a presidência do Conselho de Administração. Rosane escolheu um novo nome para a presidência executiva: Amaury Olsen, então diretor industrial, foi o primeiro presidente de fora da família Hansen.

Mais mudanças

1994

Um acidente trágico

O jatinho que levava Carlos Roberto Hansen e muitas outras pessoas para a Colômbia caiu em meio a uma tempestade. Seu irmão João Neto assumiu provisoriamente a presidência.

1992

Tigre Argentina

A Tigre já possuía distribuidoras na Argentina, mas foi em 1992 que foi instalada a primeira fábrica no país.

1991

Mudança na presidência

João Hansen Junior, muito querido e admirado por todos, decidiu se afastar dos negócios em função de problemas cardíacos e seu filho Carlos Roberto - carinhosamente chamado de Cau - se tornou presidente da Tigre.

Mudança na presidência

1980

Informatização

A Tigre informatizou totalmente seus escritórios e desenvolveu serviços como telemarketing. Nessa época, a empresa estava presente em 15 estados brasileiros, além de uma fábrica no Paraguai e distribuidoras na Bolívia e Argentina.

1977

Início da internacionalização

Foi dado o primeiro passo rumo à internacionalização da Tigre: a constituição da Tubopar, no Paraguai.

1972

Tem que ser Tigre

Foi criada a Hansen Máquinas e Equipamentos. Nesse momento, a fábrica da Tigre contava com mais de 100 máquinas e conquistava sua autossuficiência na produção de moldes. Então ocorreu a crise mundial do petróleo e a Tigre reformulou seu método de aproximação com os clientes. Nasceram as campanhas da qualidade Tigre com os bordões como "Tem que ser Tigre" e “Tigre, o mais forte”.

Tem que ser Tigre

1965

Nova sede

Foi construída uma nova sede da Tigre em Joinville, com 8.000 metros quadrados.

Nova sede

1964

A Tigre não para

Neste ano nasceram a Transportadora Rodotigre e a CIPLANORTE - Companhia Industrial de Plásticos, no Recife.

A Tigre não para

1963

Desenvolvimento constante

A primeira subsidiária da Tigre, a Companhia Industrial de Plásticos - CIPLA foi inaugurada em Joinville. A CIPLA era responsável pela produção de mangueiras, acessórios sanitários e demais componentes plásticos flexíveis.

1960

Publicidade + capacitação

Durante a década de 60, foram criadas as Escolas de Aperfeiçoamento Tigre para formar, treinar e aperfeiçoar profissionais com o novo produto que entrava no mercado. Tudo de forma gratuita, com direito a manual didático. Foi redigido o Manual Técnico Tigre, que teve centenas de milhares de exemplares distribuídos pelo Brasil todo. Além disso, foram criados os Tigrões – escolas móveis que percorreram o país oferecendo treinamentos sobre os produtos Tigre.

Publicidade + capacitação

Linha Soldável

Após 2 anos do lançamento da linha Roscável, foi lançada pela Tigre a linha Soldável. Ela iniciou com apenas algumas conexões e tornou-se completa em pouco tempo.

1960

1959

Pioneirismo publicitário

Hansen e Sergio Soares Sobral (parceiro, representante comercial e impulsionador de vendas em SP) começaram a idealizar ações de marketing e publicidade para consolidar o produto no mercado. Veiculavam-se anúncios em rádio, jornais e TV, e promoviam-se concursos – o melhor balconista, o melhor encanador. As ações viraram referência através dos anos pela ousadia e pioneirismo.

Pioneirismo publicitário

1958

Uma viagem importante

Hansen viajou à Hannover para a Grande Feira do Plástico. Voltou com um produto especial em mente: o PVC rígido. Criou a primeira linha de tubos roscáveis de PVC rígido. Poucos acreditavam em tubos e conexões de PVC, afinal, o que poderia ser melhor que tubos de ferro? Tubos que enferrujavam e apodreciam. Começou aí uma grande quebra de paradigmas conservadores. Mudava-se naquele instante o futuro de uma empresa. Mais do que isso, mudava-se o futuro das instalações hidráulicas no Brasil e nas Américas.

Uma viagem importante

1950

A chegada do PVC

Já muito utilizado em instalações hidráulicas nos Estados Unidos, o uso do PVC (polyvinyl chloride) começou em terras catarinenses graças a Tigre. Nessa época, a empresa já contava com mais de 200 funcionários.

A chegada do PVC

1946

A era do plástico

Mudanças políticas, culturais e sociais refletiram-se na vida das pessoas nesta década, e uma das grandes novidades foi a chegada do plástico. A empresa mudou para João Hansen Junior & Cia. Ltda.: Fábrica de Pentes, Cachimbos, e Artefatos de Massa Plástica Tigre. Um dos grandes sucessos foi a produção de leques, que tomaram conta de Joinville.

A era do plástico

1942

Fusão e crescimento

Tempo de segunda guerra mundial e racionamento de recursos. Mesmo assim, a Tigre avançou, unindo-se a uma fábrica de cachimbos, a Sawa, pertencente a Hans G. Ramminger, cunhado de João. A partir dessa fusão nasceu a João Hansen Junior e Cia. Ltda.

Fusão e crescimento

1941

Início de uma história

João Hansen Junior passou por diversos cargos profissionais na cidade de Joinville até se tornar gerente da Perfumaria Jasmin. Em 1 de agosto de 1941, adquiriu uma empresa que passava por dificuldades naquele momento: a Albano Koerber e Cia, que fabricava os pentes Tigre, feitos de chifres de boi.

1941