Dúvidas Tigre


  • - AutoCAD® ou Revit® 2014*, 2015*, 2016, 2017, 2018, 2019, 2020 (* atualizado com as versões mais recentes do AutoCAD® Service Pack)
  • - Processador: Intel® or AMD™ multi-core processor, 2.0 GHz ou superior
  • - Memória RAM: 4 GB
  • - Sistema Operacional: Windows® 7 (Home Premium, Professional, Ultimate, Enterprise), Windows® 8 / 8.1, Windows® 10 (somente AutoCAD 2016 ou superior)
  • - Disco Rígido: 2 GB de espaço livre
  • - Video: 1280x1024 with true color
  • - Microsoft® .NET Framework 4.0 ou superior
  • - Windows® Internet Explorer 7.0 ou superior
  • - Conexão com Internet
  • - Adaptador de Rede

O plugin é compatível tanto com o Revit® quanto com o AutoCAD® nas versões de 2014 a 2020. Lembrando que as versões LT do AutoCAD® e do Revit® não aceitam nenhum tipo de plugin.

O TigreCAD agora é TigreBIM! O TigreBIM tem as mesmas funcionalidades, porém com algumas melhorias e atualizações.

Sim, você pode nos contatar através do e-mail: tigrebim@tigre.com. Este é o e-mail de suporte técnico exclusivo para questões relacionadas ao TigreBIM.

Sim, disponibilizamos anualmente diversos treinamentos online. Acompanhe nossas redes sociais para se manter atualizado!

Você pode baixar o plugin TigreBIM para AutoCAD® ou para Revit® no site: https://www.tigre.com.br/tigre-bim

Sim, as funções do TigreBIM são gratuitas e referentes a inserção, edição e quantificação dos produtos Tigre em projetos no Revit® ou AutoCAD®.

  • Passo a passo para paredes de alvenaria: defina quais serão as aberturas para ligação dos eletrodutos, retire as pastilhas pressionando com os dedos e conecte os eletrodutos por simples encaixe. Depois isso, fixe o quadro no local previsto em seu projeto, conectando os respectivos eletrodutos. Não se esqueça de considerar o nível da alvenaria, deixando espaço para um acabamento com reboco posterior.
  • Passo a passo para paredes de Drywall: use os quatro pontos em relevo do fundo do quadro para fazer a marcação na placa de gesso, no local pré-definido em seu projeto. Para fixar o quadro de distribuição na placa, use os quatro fixadores para Drywall que acompanham o produto. Encaixe os fixadores nos suportes que estão nas laterais do quadro e parafuse a placa e os fixadores para Drywall. Use os rasgos existentes na borda do quadro como orientação para o posicionamento dos fixadores ou, se preferir, parafuse os fixadores direto no montante. Lembre-se de que o quadro precisa ficar nivelado com a placa.

O ideal é que a base para instalação da caixa seja lisa, nivelada e sem sujeira ou materiais pontiagudos, preferencialmente de concreto ou madeira. A base precisa ter resistência compatível com o peso da caixa cheia e deve ser maior do que a largura do fundo da caixa. Para instalar sua caixa d'água, as tubulações essenciais são:
• De entrada (alimenta a caixa);
• De saída (distribui a água para a edificação);
• Extravasor (permite escoamento de eventual excesso de água, evitando transbordamento);
• De limpeza (escoa a água após a limpeza da caixa).
Para colocar a tubulação de saída, faça um furo no rebaixo plano inferior que está na lateral da caixa, através de serra-copo. Ao furar, use a marcação correspondente à bitola do adaptador.
Para a tubulação de entrada, o furo deverá ser feito no relevo plano superior. Ao furar, considere a marcação existente como o centro do furo.
Para a fixação do conjunto à base, use tirantes que se fixem ao piso e cruze os tirantes sobre a tampa.

O processo de tratamento de resíduos industriais é feito com o sistema MBR (Membrane Bio Reactor, ou Membranas de Ultrafiltração). Este processo possui diversas vantagens, incluindo a alta eficiência e a pequena área de instalação necessária para o equipamento.

O processo de MBR alia duas técnicas de tratamento: o sistema biológico aeróbio - que utiliza microorganismos para degradar as substâncias orgânicas - e a separação de sólidos por membranas. O resultado dessa combinação são efluentes com baixa carga de matéria orgânica e, consequentemente, menos turvos.

Uma das grandes vantagens do sistema MBR é que ele permite que se trabalhe com altas concentrações de SSV (Sólidos Suspensos Voláteis) no reator. Isso acontece porque o processo de separação é feito por meio de filtração e não por decantação, como nos sistemas convencionais. A possibilidade de poder trabalhar com alta concentração de SSV faz com que o reator do sistema de MBR seja muito menor, porém mais eficiente.

O processo ocorre da seguinte forma: o esgoto bruto é encaminhado para a ETE (Estação de Tratamento de Esgoto), onde é direcionado primeiramente para um cesto que retém partículas maiores que 2mm. Após passar por um tanque de equalização, ele é bombeado para um tanque de aeração, onde fica o sistema MBR. Ali, um sistema de difusão de ar mantém a concentração de oxigênio dentro do reator, permitindo que microrganismos aeróbios, conhecidos como flocos biológicos, façam metabolismo e degradem a matéria orgânica, transformando-a em lodo e gás carbônico. O líquido é posteriormente separado dos flocos, podendo então ser considerado água tratada de alta qualidade, pronta para o descarte ou reutilização. O lodo biológico excedente, por sua vez, é retirado periodicamente para destinação adequada conforme a legislação pertinente.